Home Blog Como criar (e vender) microfranquias de sucesso

Como criar (e vender) microfranquias de sucesso

08 out 2021

As microfranquias atraem muitos investidores por conta do baixo custo inicial e a operação mais enxuta.



Nos últimos meses, muitas redes reformularam seu modelo de negócio para microfranquias, pois elas facilitam o ingresso de novos investidores no franchising e aceleram a expansão. 

 

Segundo definição da Associação Brasileira de Franchising (ABF), são consideradas microfranquias as operações com investimento de, no máximo, R$ 105 mil. 
 

Além de mais baratas, as microfranquias costumam ter a gestão simples e a estrutura enxuta, o que contribui para o interesse dos candidatos. 
 

Pensando em criar uma microfranquia? Veja como pode adaptar sua operação tradicional para uma microfranquia. 

Verifique a viabilidade do formato 

O primeiro passo é entender como o seu negócio atual pode ser convertido em uma microfranquia - lembrando que o valor de investimento não deve ultrapassar os R$ 105 mil e a operação precisa  ser simplificada. 
 

Para isso, o melhor caminho é criar um estudo que apresente possibilidades para enxugar os custos e as etapas da gestão. 
 

Por exemplo, se sua rede comercializa lojas de acessórios, uma opção é criar uma microfranquia na qual as vendas sejam feitas pelo franqueado através da internet e a franqueadora faça o envio das peças.
 

Neste exemplo, com um modelo home office e virtual, as despesas serão menores e a administração mais simples. Porém, a franqueadora terá que viabilizar a criação das lojas virtuais dos franqueados, ensiná-los a gerenciar o e-commerce e divulgá-lo e também implantar um departamento de logística para enviar as peças. 
 

Além de contar com um time de expansão para participar deste processo de concepção, também é interessante trazer uma consultoria especializada em formatar modelos de franquias. 

Sistematize os processos

Com a microfranquia desenhada, a próxima etapa é detalhar os processos de administração da franquia, bem como os direitos e deveres do franqueado com a marca. 
 

Esses protocolos podem ser adaptados de outros modelos que a franqueadora já oferece, mas deve-se tomar cuidado para repensar em todos os pontos que podem diferenciar os formatos atuais da nova microfranquia. 
 

Documentar esses detalhes vai ajudar bastante a criar os manuais da microfranquia e a entender se há necessidade de criar treinamentos específicos para este tipo de operação. 
 

Para validar tudo isso, é bastante interessante implementar uma unidade piloto e acompanhar a sua performance por alguns meses. Assim, fica mais fácil entender se, na prática, o negócio tem boas chances de prosperar.

Oficialize sua microfranquia juridicamente 

Para oficializar sua microfranquia é necessário passar por algumas etapas burocráticas, como a elaboração do plano de negócio específico deste formato e de uma Circular de Oferta de Franquia (COF) que traga aspectos particulares da microfranquia. 
 

Naturalmente, nessa etapa já é importante que os valores de investimento (como taxa de franquia e royalties) e os dados de retorno (incluindo o faturamento médio mensal e o prazo de retorno sobre o investimento) já estejam bem definidos. 

Desenhe a expansão

Como etapa final do planejamento, é hora de preparar a divulgação da nova franquia da sua rede. 
 

O time de marketing e de expansão podem ajudar a estimar um orçamento para essa empreitada, bem como definir quais serão as estratégias para atrair investidores para a microfranquia. Anúncios nas redes sociais, divulgações através de assessorias de imprensa e em portais especializados são algumas opções. 
 

Dependendo de como a franquia foi formatada, também é possível oferecer as microfranquias para os franqueados que já lideram outras unidades.

 

Deixe um comentário

Comentários


Seja o primeiro a comentar.